Na exposição de meu céu interior: o coração

Textos


A PRISÃO DO TODO


Quisera cavalgar em belos sonhos,
levitar liberdade em meu espaço,
ir além dos enigmas medonhos,
muito além do que penso, mas não faço.

Os caminhos que trilho são tristonhos,
suas distâncias ditam meu cansaço.
Os meus sonhos, sem siso e enfadonhos,
são iguais às visões de espelho baço!

Contradizendo as leis da liberdade,
eu caminho censuras, mas liberta
da prisão permanente da saudade.

Apenas o meu peito inda acoberta
a clausura da minha mocidade,
de sonhos e paixões sempre referta...



Ruth Gentil Sivieri
Enviado por Ruth Gentil Sivieri em 19/08/2012

Música: Borbulhas de amor - Orquestrada

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras